A canção dos mortos vivos(Paulo Renato Rico)

Armstrong, Anthony
As belas crianças estão todas na cama e
A cidade parece ter um único dono,
Estão tentando reencarnar Napoleão e seu cavalo,
Mas, as crianças não têm necessidade de ficarem nervosas.
O fantasma de Norma Jean oferece sua beleza
Para John kennedy e seu assassino,
Estranhamente ela dança fora de ritmo,
Bem em frente a Casa Branca.
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
A noiva neurótica passa pela porta principal
Gemendo suas aventuras passadas,
Grita por alguém do lado de fora e
Enquanto abaixam as cortinas ela diz:
“Tragam-me todos meus amantes!!!”
Agora um vizinho vem tropeçando pelo tapete vermelho,
Ele anda bêbado demais para ser alguém,
“Engula seu orgulho, sua idiota!” disse ele a noiva,
“Não vou morrer ! Não vou morrer agora !”
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
Bem, dizem que Judas foi um traidor,
Mas, olhou bem para seu chefe e disse:
“Oh, grande herói, sejamos breve,
existe um precipício e posso me atirar,
mas, prefiro me enforcar !”
Então, o chefe firme e lúcido responde:
“Você preferiu eles a mim, agora,
lastima e chora sua traição.”
“Enfim, estenda os braços para o céu e diga:
Sou realmente um covarde !?”
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
Os filisteus tentaram se salvar
Enquanto enterravam seus parentes e
Arrumavam seus túmulos.
Colocaram os inocentes na prisão e
Engordaram os miseráveis ladrões,
Jogaram todos para os leões.
O Rei Davi com suas armas
Lutou contra todos seus inimigos,
Com seu fiel amigo Pedro em suas costas
Pisotearam os pobres infiéis para garantir a confiança de seu povo e
Influenciar a multidão enfurecida.
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
A ciência da inocência é pura fantasia,
Fizeram Galileu renegar suas grandes obras e
Jogaram todos no inferno.
Sansão chora inutilmente por Dalila,
Enquanto ela chora, mas de tanto rir.
Eu poderia fugir de muita gente estranha e
Dar a eles essa grande alegria,
Mas, eu me acorrentaria como prisioneiro e,
Ninguém saberia mais quem é Cecil B. DeMille,
Poderíamos morrer felizes eternidade afora.
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
Olhem Bach, Chopin e Beethoven,
Desenterraram seus sacos de dormir,
Tudo não passa de um monte de pó.
Os grandes maestros estão tocando ao redor da praça central
Enquanto o Banco Nacional recebe o dinheiro dos convites e
A Primeira-Dama vai nos conduzindo lentamente para o grande asilo.
Sim, eu gostaria de poder escrever mais,
Um milhão de coisas, tão simples,
Fazer de vocês, Senhoras e Senhores,
Ficarem abalados e insanos,
Como também poderia acalmar suas agonias e
Curar as dores de suas crenças inúteis e sem propósito.
Sim, sua mãe está longe de casa,
Ela nem mesmo consegue comprar um vestido novo,
Seu pai está jogado na sarjeta
Procurando encontrar alguns trocados,
Enquanto eu perambulo pelas ruas
Com meu violão pendurado nas costas.
Anúncios

AMANHÃ EU SEREI LIVRE

Bem, eu estava mal na noite passada,
Estava sob os efeitos do álcool,
Entretanto, parecia estar tudo bem e perfeito,
Até alguém começar a falar em meus ouvidos.
Afastei-me e disse: “cale a boca!”
Estava completamente indiferente,
Saí pela porta principal.
Acho que, às vezes, posso me embriagar,
Ando mesmo sozinho neste chão feito de lixo,
Não me importo com nada,
Mas, não me venha fazer sentir-me um inútil,
Tenho muitas cartas nas mangas,
Não tente se esconder, fingindo que não me conhece.
Lá estava eu, aos trancos e barrancos,
Quando algo bateu em minha cabeça,
Fui correndo me esconder,
Mas, tive que enfrentar os inimigos,
Custou-me muitos anos de minha vida,
Para me encontrar novamente.
Bem, faz muito tempo que o telefone não toca,
Nem mesmo meus amigos se lembram que existo,
O que é preciso para esse mundo crescer?
Talvez, alguns artistas com poucas roupas na tv,
Acho que faria o povo feliz,
Nem Juscelino conseguiria fazê-lo.
Tenho milhares de opções para escolher,
Mas, quase nada me serve,
Aquela mulher da novela grita e berra feito deprimente,
Chuta a cama e xinga os vizinhos,
Ela é tão arrogante.
Cercada de homens, ela os devora feito um demônio.
Oh, não tenho tempo nem para dormir,
Não preciso nem mesmo arrumar a cama,
Somos todos cegamente hipócritas demais.
Trabalho dia e noite sem parar,
Minhas roupas estão grudadas no corpo e
Na hora do café, escrevo algumas cartas,
Mando todas no dia seguinte.
Perdido num dia no meio da semana,
Estou quase morrendo,
Meus olhos não conseguem ficarem abertos,
Tento arrumar um canto para dormir e
Durante o sono parecia estar tendo um ataque de nervos
Acordei no meio da grande multidão,
Num dia gelado de outono.
Logo mais à frente,
Um candidato às eleições faz seu discurso num pequeno palanque,
Ele quer meu voto,
Mas, está nervoso demais por causa de seu envolvimento na corrupção.
Muitas demagogias soam em meus ouvidos,
Coitado daquele povo infeliz,
Ele está comendo pizza,
Enquanto eu como o que restou do almoço de ontem.
Bem, estou farto desses discursos,
Nem mesmo os jornais parecem ter o que noticiar,
Aquele jogador de futebol que você tanto gosta,
Não faz sequer mais um gol,
O que há para fazer?
Abro outra garrafa de whisky e parece feito para crianças,
O que eu quero saber ninguém responde,
Não pretendo ser um herói como Martin Luther King.
Há muito tempo tento encontrar alguma coisa engraçada,
Mas, eu já vi tudo e
Aquela moça rica que toma dezenas de banhos por dia
Fede mais do que um porco na lama.
E aquele playboyzinho que abandonou à escola
Para ficar com as garotinhas do bairro,
Ele é tão estúpido!
Enfim, não é preciso responder porque ando bêbado a todo momento,
Parece um absurdo, mas, na maioria das vezes o álcool me acalma,
Eu apenas tento fazer de meus dias o melhor possível,
Enquanto caminho lento para aquilo que acredito.
Disseram que Elizabeth Taylor era uma sonhadora,
No entanto, aqui a televisão faz o inferno em você,
Acreditando ser de um partido trabalhista.
( Paulo Renato C. Rico )