Elegia para Safo

safo
"Charles August Mengin- retrata Safo no leito de morte(1867)"

“a morte não é um bem
os própios deuses o sabem

eles preferiram viver”

( Safo de Lesbos )

Se com agre vinho saúdam corjas;
Que evocam em tua lânguida postura,
Pelos desprazeres de vã ternura:
A lírica do teu calvário em rosas!

Que sejas, ó Safo, para ti alento,
O fremir dos teus excertos fecundos!
No anuviar dos transbordos entre mundos,
Guarda em teu seio, eficacíssimo ungüento!

Vislumbro-a, ó Safo, como alma cerviz,
Que enfadou dos deuses em tolo matiz,
E agora, na íris, foco-te em ardor!

Que conspiraria: todo o Olimpo à favor,
Vestir mortalidade! Se emanar:
Por Lesbos, nos lábios ao aconchegar!

Anúncios

Autor: Fabio R.

Para começar eu nunca tive as letras como profissão comecei a escrever por dois motivos: ---para passar o tempo ---para espantar a insônia Hoje escrevo pra responder a simples pergunta: serei eu um ser inteligente ou apenas mais um animal na face da Terra? Eu comecei com umas HQS ao 6 anos( em 1988),logo que aprendi a ler um pouco melhor, incialmente impulsionado pela leitura do Gibi do Cascão. Logo as estórias do menino que nao toma banho ficaram sem muitos atrativos e comecei a fzr minhas estórias. No começo era apenas comédia infantil, mais depois de 3 sequencias de "SEXTA FEIRA 13" comecei a me interessar pelo genero do terror. Bem a fase de HQS durou até os 12 anos e seu auge foi entre 1990 e 1992 quando tinha mais 7 amigos produzindo e compartilhando suas HQS comigo.Confesso que nao desenhavamos muito bem. Depois um periodo negro me encontrou,estou falando da adolescência de HEAD BANGUER, passava o dia todo escutado SABBATH e MAIDEN. Então impulsionado por toda a euforia daquele som,e pela vontade de pegar garotas, montei uma banda com os amigos.Não conseguiamos tocar covers nem dos RAMONES entao faziamos nossas composições, era bem simples tinhamos dois guitarristas, um que começava a aprender a escala pentatônica com seu professor particular, e um que tocava hinos religiosos, por incompentência mesmo após alguns meses de conservatório eu fui delegado ao posto de vocalista,tbm tinhamos um baixista que nunca aparecia nos ensaios. O que isso tem a ver com a escrita vcs me perguntam?Era eu que compunha a maioria das letras pops e desnexadas, três shows em colégios e 3 brigas por namoradas depois a banda entrou em um hiato indefenido, conseguimos 8 composições, a maior delas "Herdeiro do céu e da solidão" que teria sido um clássico do METTAL se as fitas de rolo magnético da decáda de 50 que herdei com um gravador de meu avô tivessem resistido a fúria de um vira latas. Bem o interesse por poesia começou no colegial, quando descobri que algumas menininhas ficavam impressionadas ao escutar um soneto de Camões ou de Augusto do Anjos. E usei umas duas composições minhas para arranjar namorada. Finalmente chegamos até o dia de hoje onde ainda não consegui escrever uma poesia decente,sempre erro a métrica, e não sei onde diabos a aliteração se encaixa em um texto. Bem, meu objetivo principal é superar a façanha de meu avô Juliano que consegui em 60/70 publicar algumas poesias em um livro de contos regionais no interior de SP. Espero que vcs se divirtam e reflitam como é imprestável um ser humano neste planeta ao lerem minhas tentativas de poetar. Fora da comunidade vcs podem também acessar o site: www.epicosubmundo.blogspot.com Fabio R.Vieira

4 comentários em “Elegia para Safo”

  1. Caro Fabio,

    Sei sim o que é uma Coroa de Sonetos.

    Basta definir o soneto “chave” (vamos dizer assim), que acho que seria melhor se ele fosse de outro poeta e tal…
    Aí eu faço o primeiro, você o segundo, eu o terceiro e assim vai.

    Depois a gente brinca com algo mais sério. Por enquanto algo só pra começar.

    Acredite, escrever os 7 sonetos cada um de nós não vai ser nada fácil… ehhehehe

    Acho mais fácil em decassílabos… agora se quiser bem clássico mesmo mantemos o esquema em heróico e sáfico.

    Qualquer coisa tamos aí…

    É, já faz um tempinho que ando pirando em sonetos…

    Um cara que tem belos textos (até didáticos) é o Glauco Mattoso… Dá uma procurada nele.

    Tem uma coroa do Geir Campos, não achei na net… infelizmente. Essa é legal.

    Tem umas coroas num site de poetas portugueses. Mas a maioria é bem sofrível, com temática camoniana até (os mares, a Trapobana). hehehe.

    Mas vale a pena pra pegar o modelo de versificação (tônicas vs. átonas).

    Um abço meu caro

    obs. Sim, acabei de usar a ferramentasinha…

  2. É… depois eu posto mais sonetos meus. Você vai ver que faço o classicão mesmo. Vc deu uma vairada nos padrões nessa soneto. Vejamos:

    Se /com /a/gre /VI/nho/ sa/Ú/dam /cor (acento na 5a. e na 7a.)
    Que e/VO/cam/ em/ tua/ LÂN/gui/da/ pos/tu (HERÓICO)
    Pe/los / des/pra/ZE/res /de/ VÃ / ter/nu (acento na 5a. e na 7a.)
    A /LÍ/ri/ca /do/ teu/ cal/VÁ/rio em/ ro (acento na na 2a. e na 8a.)

    Que/ SE/jas,/ ó /SA/fo,/ pa/ra /ti a/len/to, (Heróico)
    O /fre/MIR/ dos/ teus /ex/CER/tos /fe/cun (acento na 3a. e na 7a.)
    No a/nu/VIAR/ dos/ trans/BOR/dos/ en/tre/ mun (Heróico agalopado)
    Guar/da em/ teu /seio,/ e/fi/ca/CÍ/ssi/mo un/güe (11s.?)

    Vis/lum/bro-a,/ ó /SA/fo, /co/mo al/ma /cer (acento na 5a e na 7a.)
    Que en/fa/DOU /dos /DEU/ses/em/ to/lo/ ma/tiz, (acento na 3. e na 5a.)
    E a/GO/ra,/ na/ Í/ris,/ fo/co-/te em /ar (acento na 2a. e na 5a.)

    Que/ cons/pi/ra/RIA:/ to/do o O/LIM/po à/ fa/vor, (acento na 5a. e na 7a.)
    De /ves/TIR /mor/ta/li/DA/de! /Se e/ma/nar: (11s.?)
    Por/ Le/bos,/ nos /seus /lá/bios / ao a/con/che/gar! (11s?)

    Os esquemas clássicos são os seguintes:

    (1) Heróico=> 2a. e 6a (e 10a. claro). (o Lusíadas é quase inteiro assim)

    ex. coBRIU, descobriRÁ, descobriRÁ

    (2) Martelo (ou heróico agalopado) => a diferença é que vai pra 3a.:

    ex. galoPOU, galoPOU, galopaRÁ

    (3) Sáfico => na 4a. e na 8a.:

    ex. descobriRÁ, descobriRÁ, coBRIU.

    O que vc mais usou (acento na 5a. e na 7a.) é totalmente moderno. Pra voc~e ter uma idéia não foi usado nem pelos clássicos, nem pelos barrocos, nem pelos árcades, nem pelos parnasianos e nem pelos simbolistas (todos grandes sonetistas…).

    O negócio parece difícil mas na verdade vc pega o jeito rápido e qdo v~e o soneto sai inteirinho.

    Usando os esquemas clássicos os sonetos ficam “menos enrolados”. Vamos dizer assim…

    Fico esperando a resposta.

    Podemos subistituir tb pelo dodecassílabo (aí o modelo é parnasiano).

    Um verdadeiro posto, ein.

    Um abço.

    1. Uso o “soneto” ainda como forma de exercer a técnica,nesse caso reescrevi os versos inúmeras vezes para encaixar o clima que a imagem de Safo(fragmentos de poemas) me provocou, também fiz uma rápida pesquisa bibliográfica e sobre citação dela na obra poética afora(Baudelaire, Haroldo de campos etc.), no fim isso acabou superando o desejo de esmero técnico(que estava comigo após as leituras de tratados e tratados de versificação em língua portuguesa). Bem, futuramente eu ia postar alguma coisa sobre meus estudos da técnica do soneto desde Petraca e Dante até “o soneto em versos brancos”.Muito disso você já simplificou Coelho.
      baseado nessa sua “curta aula” fiz uma peuqna correção em versos(que não perderiam a essencia original) ao meu ver:

      13-Vestir mortalidade! Se emanar:
      14-Por Lebos,nos lábios a aconchegar

      não vi ainda uma alternativa para o 8º(guarda em teu seio…) sem modificar a minha intenção de encaixar o uso da palavra “seio” que não prejudique a referência ambigua que quis colocar(seio= intima essencia-líríca, as referencias fisícas)

      A acentuação era inicialmente para comportar linhas do verso o sáfico e variar com outra acentuação mais livre…..

  3. Depois fiquei pensando e a gente pode usar algum esquema não-clássico, mas acho legal a regularidade (dá mais fluir aos sonetos – ainda se tratando de 15…). Podia ser um esquema “moderno”.

    Mas tb podia ser todo em “sáfico” (dificílimo) falando sobre Safo…

    Enfim… uma coisa mais “fractal”.

    Um abço
    obs. não desencana, ãhn! estou aberto pra qualquer tipo de proposta o importante é o trabalho em conjunto (coisa que dizem que é raro hj em dia, pois cada um fica trancado no seu mundinho).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s