Poesia de James Joyce-“Pomas, um tostão cada

Esse é o título da segunda coletânea de poesias do autor de “Ulisses” e “Finnegas Wake” publicada no Brasil em 2001. Para os “estudiosos” ,essa é uma obra (com o perdão do clichê) que arranca o autor de sua concha,
nas palavras do Tradutor Alípio Correia:

“uma obra em constraste com a muralha intransponível, de caráter impessoal, dos escritos em prosa.Uma verdadeira glorrificação do homem comum seus versos são o lugar onde é possível vislumbrar as inquetações do homem Joyce, o espaço através do qual sua dor e fragilidade continuaram a minar ao longo de sua vida…”

Segue uma pequena amostra pra vcs frequentadores assíduos do site cmo o Rafael Coelho o’clock e tbm p/ vcs que “comentem erros ao digitar a URL”

Nightpiece

Gaunt in gloom,the pale stars their torches,

enshrouded,wave

ghostfires from heavens

far verges faint illume,

arches on soaring arches,

night’s sindark nave

Seraphim,

the lost hosts awaken

to service till

in moonless gloom each lapses muted,dim,

raides when she has and shaken

her thurible.

and long and loud,

to night’s nave upsoaring,

a starknell tools

as the bleak incense surges,cloud on cloud,

voidward from the adoring

waste of souls

Noturno

Lúgubres na penumbra,estrelas pálidas o archote

amortalhado ondeiam

Dos confins do céu,fogos-fantasmas alumbram

arcos sobre arcos que se alteiam,

nave pecadobreu da noite

Serafins,

As hostes sem norte despertam

para o serviço, até que tombem

na penumbra sem lua,mudas,turvas, ao fim,

assim que ela erga e vibre inquieta

o seu turíbulo

e alto,longo,á turva,

sobrelavada nave,

a estrela-sino tange,enquanto, calmas,

as espirais do incenso ascendem,nuvem sobre nuvem,

rumo-ao-vazio, do venerável

resíduo de almas

————————————————————-

BAHNHOFSTRASSE

the eyes that mock me sign the way
whereto i pas at eve of day,

grey way whose violet signals are
the trysting and the twining star

ah star of evil!star of pain!
highheart youth comes not again

nor old heart’s wisdow yet to know
the signs that mock me as I go

BAHNHOFSTRASSE

Olhos que zombam mostram com sinais
a rua em que ando enquanto a tarde cai-

a rua é turva, e seus sinais,violáceos-
a estrela do encontrar-se e do apartar-se

estrela má!da pena!a idade moça,
do coração pleno de alento,foi-se,

e falta um velho e sábio para entender os
sinais, que me acompanham zombeteiros

nota do tradutor: BAHNOFSTRASSE é o nome de uma rua de Zuirique(SUI) onde um ano antes de escrever o poema JJ teve um “ataque” de glaucoma necessitando de uma intervenção cirúrgica nos olhos .

nota minha: O glaucoma,resumidamente,é uma doença que deriva do aumento da pressão sanguínea no globo ocular

Anúncios