Aportar


Prologo
Aos potentores do credo destino epístola!
Dum agnóstico trazendo as notas d’lém crença!

I

Já aportaram as naus e não me tragaram a gargântua
Nem brumas ou demônios ceifaram a tripulação
Por isso decifrei calúnias e desvencilhei amarras
Ao desposar a ciência, abdicando da promessa
Feita por fortuna á senil mística!

Sim, eclesiásticos!Anunciem que viuvou!
Seu decrépito abraço as hierarquias do Panteão!
E que também expirou a validade do seu Messias
Por isso aconselhem-á eutanásia!

Pois, nestas matas conforta-me o colo duma prenda lógica.
As ventanas e os tapumes não censuram a face púbere
Das metodologias, formulações e evidências!

Com isso esculpo-me incrédulo, ateu, herege ou fatalista!
Como convenha assim nomear-me, de imediato a tua vontade!

Enquanto condecoro á meu general o empirismo!
O imediatismo que os sentidos devoram!

Anúncios