You are currently browsing the category archive for the ‘minhas poesias’ category.

images2

 

 

 

 

 

 

 

 

Um drink na madrugada
ela sussurra estou interessada
em fingir que o tempo,
não é medido á curto prazo.

O seu corpo quer o toque
Como todo território inexplorado
Deseja a descoberta
E os dias de rotina anseiam
por notícias amenas.

Deitada na cama ela disse –
talvez um pouco agridoce
Fitar um ao outro por alguns minutos
E depois uma palavra obscena ou outra

Para fazer o que se deve a si
e não a quem te deve assim quisera Orwell
ter cometido crimedeias mas,
quisera ele ter resistido um pouco mais
quisera ele ter insistido um pouco mais

Deixar a porta fechada no quarto 101
mas demorou demais para nos dois termos percebido
que ela se foi sem ter se despedido
era uma noite qualquer de 1984

E nunca mais vimos aquela coragem
em não ajustar-se ao mundo.

movie and movement

war and warranties

from be to bed

……………………bet

 ……………………

seek and sickness

mill and million

from food to foot

…………………..flood

 …………………..

crab, job, meat

crap, jog, meet

 …………………..

media and median

taste and testament

from mine to mime

…………………….minimize

 …………………..

gun, world, greed

gum, word, grit

…………………..

                   to leaf to leave

                            to vain to vein

                                         a worm too warm

por origem

                      vadiagem

na afinidade

                drenagem

 

                  giro

                   do dia

                      do dreno a vaidade  

                   agem

 

fina

passagem

 

miro o imã

 

na miragem

mas,o que atrai:

 

 

                           é   engrenagem

Campbell's Soup Cans-Andy Warhol(1962)

Campbell's Soup Cans-Andy Warhol(1962)

No flerte outdoor,

a pluralidade de existência.

para mim assistência

ofegando em armadura,

os pontos:


————–cessuram,

——————— censuram,

——————————– se surram


e todo o redor?

é só postura

atura

pura desventura …..

as datas,nas latas, nas atas


almejam,

afinal, no tomo provinciano:

as cenas

—–HOLLYWOOD

————————–-HIENAS!

***********

direitos autorais reservados á Fabio R..(BN-2009)

Poster Soviético em alusão ao festival do trabalho maio,1920(autor Dimitri Moor)

Poster Soviético em alusão ao festival do trabalho maio,1920(autor Dimitri Moor)

No alvo da metrópole as posses,
decolam para mim e não para o outro,
que molambo na rua vive do escambo .

Não há outro, cozinhando as favas
e nada retendo aos dias ainda “in útero”
na coluna das dissidências;
rebate um fulgor ressabiado!

Alveja a matilha o jargão publicitário,
que torna crime qualquer inquisição

No entanto, num futuro utópico, não será mais preciso ostentar em
emblemáticas camisetas,o tom do sangue :

Em punhos cerrados
não há falhas:
Pátria de canalhas!

In: Continuando a peregrinação pelo universo em estado de satori

mais alguns scifaiku:

jardim das quimeras
despe-se para colher
luas tempestuosas

(garden of chimeras
undress itself to pick
tempestuous moons)-01/03/09
*

colcha de fractais
recobrindo todo o caos
um olhar felino

(blanket of fractals
covering all caos
a feline glance)-01/03/09

*

no balanço quântico
os esqueletos rastejam-
melodias de zen

(quantic balance
the bones sneaking
melodies of zen)-11/03/09

*
o sol soporífero
infusões de infortúnio
globular cluster

(under sleeping sun
unfortunate infusions
globular cluster)-04/03/09

*
jardim de sutras
transmite por ondas sônicas-
fissões nucleares

(garden of sutras
transduce for sonic waves
nuclear fissions)-11/03/09

Fanstatix-Book(Luis Royo 2007)

Fanstatix-Book(Luis Royo 2007)

CENDRIER

(cinzeiro)

Embaça a lente, flor de cássis
flutuando, no conta-giros
pernas de vedete!

TRAMA DA NOITE RUBRA

Num rosto maquiado
maças, mesmo ainda, não maduras-
atiçam pecados

FRENAGEM

Numa cortina de vime
enceram bruscamente-
peripécias tangentes

VIGÍLIA

em flor as luzes
pálido contentamento
carruagens pelo platô

VEILLE

(vigília fançais )

En fleur les feaux
pâlot joyeaux-
charriots dans le plateau

Á MESA

Seria pecado
ou um mau trato?
Servir-te amor aos bocados

EM TURBILHÃO

Escamas de serpente
deliriam mar adentro
num beijo, Eros!

CONCUBINA

Que não seja só tese
em você catacrese
a fortaleza em brasas

POLIGLOTA

Paixão sem chacota
multiplica a aposta
universalizando as línguas

HONEYBOOM

Tomara que caia
o véu de noiva
ao som da marselhesa

-Fabio R.(2008/2009)-

(Creative Commons & Registro Biblioteca Nacional)

silhueta

“ sexe n’est pas  bureaucratie”

À mesa estão dispostas,
mentiras sadias,
posso  servi-las aos bocados,
em novos fetiches
ou esperar um pouco mais  para levar
todo o torpor ao corpo

Desbravar o novo
para não desperdiçar o  toque
contemplando os pontos certos
com  translados, paradas e amavios

Pode-se descer pela espinha
com sopros gentis,
loucos para serem palavras:
para  melindrar o teu  chão

A pressa é o  clichê, a sutileza o jogo
melhor  não esquecer
o que há entrelinhas, então
com arranhões vorazes delimitar  teu abdômen
depois  acariciar as pernas ,com pétalas de rosa,
até o limite da liga

Para o ápice da trama
devorar com os olhos,a silhueta ,
pelo roupão entreaberto
ostentando duas pérolas;
macias ao mordiscar…

Em tantra não fica estagnado
o nosso submundo
nem fica  entre nós
o gosto amaro
de uma despedia

 

The turn is over for a dealer
and we are still high for a good shoot
there are too many degrees
in a staiway to infamy.
and we are still thinking:how to get some grip

You can change the rules all the time
and trap some shining  expects
just chill!
theReaper’s caravan could be out of time
out of blue you shall be right

So exchange your chips
and win, no matter the means

aguarde nova enquete

sobre mim:

Nietzche em seu ensaio:“Moral Como Antinatureza” escreveu : A realidade nos mostra uma encantadora riqueza de tipos, uma abundante profusão de jogos e mudanças de forma.” ************************************ você pode acessar meus textos também através dos sites: Recanto das Letras Fabio R Poesia e Companhia

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 48 outros seguidores

Acesso rápido

mais acessados

  • Nenhum
ATENÇÃO: Todas as poesias de minha autoria neste blog,são periodicamente compiladose registrados conforme as normas: da Lei N° 9.610,DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 e da biblioteca nacional(EDR) Que regulamentam os DireitosAutorais no Brasil Qualquer reprodução integral ou parcial do conteúdo aqui expresso necessita autorização prévia do autor Fabio R.Vieira Obrigado......
agosto 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

RSS Notícias em tempo real

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.