Pontos de Fuga

Anúncios

Mais Concretismos……

BISCOITO DA SORTE
Não
é por que
não aprendeu a
gritar que uma árvore
não sabe se impor à
tempestade
que aos
seus
galhos
maltrata!
****
LIRA DO INFORTÚNIO
————–Trepidando as orbitais
————————– a inquietação
——————————expõe o ventre
———————————juvenil á abnegação
————————————-dum ponto cego,
——————————-rebento que não vingou.
———————————————atroz anêmico,
—————————————no ato de perpetuar
————————————os nuances duma
——————————-matiz em mau fardo
—————————sujeito átono que passa
———————todo contexto da ação
——————espreitado pela
——————lira do infortúnio!
—————————————————–
Fabio Ricardo Vieira 2008

Poesia Concretista e poema práxis

SUB URBANO
Original é o sub-urbano
que em sua tormenta diária
sacode o pé da cama as quatro e meia
Côa o ânimo e embrulha para viajem o estômago
Laceia o pacote com as verminoses
Se atropela na fila
Pra no circular se enlatar
Três translados e já lhe alarma a ciática

Que já lhe foi dado o aviso prévio
Q ue mais um desleixo descontado em folha
não será mais seu problema mas sim o derradeiro despacho
pelo RH

Quarentas horas semanais
e  pros encargos algumas extras
revolve o cimento,arma e assenta
Bom é ser Brasileiro!

Vencedor por natureza!churrasco,pagode e cerveja e na TV alguma
pelada o suplício imáginario de São Jorge que em sua glória despreza
as notícias, o ar sisudo do RH que pouco se importa com a práxis
da poesia!!!!!
——————————————-

Febrícula Concretista
contactou-me
a imprensa para que um ensaio
formatasse sobre mi’a poesia bela,
e pragmática! tomado por orgulho
e sensibilidade pus me logo
a exalar mi’as qualidades
em antigo(i)móvel esmerilhei:
— mi’a técnica xerocada
—mi’a petrificada
discursiva
—m’ia senti
mentalidade
induzida
e o que me sova aos ouvidos
mia..mia..mia
o gato que fanfarrona
por sobre o muro
até que o sapato
o silencie!!
Poema Metralha
homem bomba em KOSOVO, REI DA ESCÓCIA em BOGOTÁ
bananas EQUATORIANAS, secretamente posicionadas
um busto de CHE , orgulhosamente vira tralha
quem protege o mundo?do sub homem NIETZSCHISTA
o OZÔNIO que se cala?breve no cinema KYOTO
dois a insurreição, MOSQUITO sobe morro
com o aval da ELITE,nada poupa o CAVEIRÃO
nem LULA lá indo,nem INVESTIGAÇÃO lá vindo
do VAZAMENTO CÔMICO MÍSSIL,
e no misterioso ORIENTE VERMELHO
a praça vestida de um MAO
CELESTIAL como DALAI se
empanturrando num DONUT’S
FREE TIBET do apocalipse
as operetas,núcleo ECATOMBE!
LIBERDADE reacionária
BALA NA AGULHA
SEDE NO GATILHO
QUEM se pode PROTEGER?
dum POEMA
QUE
M
E
T
R
A
L
H
A
—————-

Fabio Ricardo Vieira